Um dos primeiros sujeitos a idealizar o que seria um “antepassado” das bicicletas e das motos foi ninguém menos que o italiano Leonardo da Vinci.

Acredite se quiser, mas as primeiras bicicletas eram feitas de madeira. Na Europa do século XVIII, elas eram chamadas de “celeríferos”.

A motocicleta foi inventada simultâneamente por um francês e um norte-americano no ano de 1869. Mas é bom deixar claro que o que Louis Perreaux e Sylvester Roper inventaram, na verdade, foi apenas uma bicicleta equipada com um motor a vapor.

A motocicleta com motor a combustão foi inventada em 1885 pelo alemão Gottlieb Daimler com ajuda de um sujeito chamado Wilhelm Maybach. Se você achou os nomes familiares, vai um lembrete: Daimler e Maybach são os fundadores da Mercedes-Benz.

O primeiro piloto de uma moto a combustão foi Paul Daimler, filho de Gottlieb. Detalhe: Paul tinha apenas 16 anos.

Uma curiosidade: Daimler e seus sócios deixaram o invento praticamente de lado para se dedicarem à fabricação de automóveis.

Em 1910, já existiam cerca de 400 fabricantes de motocicletas no mundo. O primeiro deles surgiu na Alemanha em 1894, e se chamava Hildebrandt & Wolfmüller.

As primeiras motos brasileiras surgiram no início do século XX, importadas dos Estados Unidos e da Europa.

Uma das marcas de motocicletas mais antigas ainda em atuação é a norte-americana Harley-Davidson Motor Company. A Harley-Davidson foi fundada em 1903. Mais antiga ainda é a britânica Triumph, surgida em 1885.

A japonesa Yamaha surgiu em 1887, mas como fabricante de órgãos e pianos. Por falar nisso…

Você sabia que a italiano Ducati iniciou suas atividades fabricando rádios?

Sabia que a BMW foi fundada com o objetivo de produzir motores para aviões? E só mais tarde ela começou a produzir motocicletas e (posteriormente) automóveis?

O nome Cagiva é uma abreviação de CAstiglioni GIovanni VArese – uma fusão dos nomes de seu fundador (Giovanni Castiglioni) com o nome da cidade italiana onde a marca de motos surgiu (Varese).

A Bimota é uma das marcas mais jovens do mercado. O nome Bimota vem das iniciais dos seus fundadores: VAlerio Bianchi, Giusepe MOrri e Massimo TAmburini.

Você sabia que a italian Ducati criou uma linha limitada (com pouquíssimas unidades) de motos em homenagem ao piloto brasileiro Ayrton Senna?

A mais longa viagem de moto foi empreendida pelo argentino Emilio Scotto. Ela durou 10 anos (de 1985 a 1995) e percorreu 214 países e 28 território, somando 735.000 Km.

Um sujeito chamado Bill Baxter conseguiu alcançar a inacreditável velocidade de 265 Km/h numa Kawasaki Ninja. Tudo bem se não fosse por um pequeno detalhe: Baxter é cego.

Ainda mais impressionante é o recorde do norte-americano Eve Knivel. Ele alcançou a incrível marca de 433 fraturas de ossos em diversos acidentes de moto.

O maior fabricante de motos do mundo é a China. O Brasil é o 5º colocado.

A marca que mais vende motos no Brasil é a japonesa Honda. O modelo mais vendido é a Honda GC 150 Titan (dados de 2011).

A região com maior número de emplacamento de motos é o Nordeste, seguido do Sudeste. Juntas, as duas regões representam 69% do mercado de motos brasileiro. Por falar nisso…

Você sabia que morrem 23 pessoas em acidentes de motos por dia no Brasil?

A cidade com maior número de motos por pessoa no Brasil é Ji-Paraná, em Rondônia. São 26 motos para cada 100 habitantes.

A motocicleta mais popular no Brasil dos anos 1960 foi a Lambretta.

Pouca gente sabe, mas a francesa Peugeot é também um importante fabricante de motos.

A moto mais cara vendida atualmente no Brasil é a BMW K 1600 GTL, que não sai da loja por menos de R$ 109.000,00 (dado de 2011).

Uma das marcas mais cultuadas do mundo é a italiana Bimota. Não é sem motivos: além de serem potentes,

as motos Bimota são personalizadas. Dos 6 modelos mais caros vendidos no Brasil, 4 são Bimota.

O The Harley Owners Group, um clube dos proprietários e fanáticos por Harley-Davidson, conta com

mais de 700 mil associados no mundo todo.

 


 

Fonte: maisquecuriosidade.blogspot.com

 

 

<< Voltar

Curiosidades